.

.

.

Pés Formosos » Notícias

Pés Formosos » Notícias


Conheça algumas histórias de cristãos sírios refugiados no Brasil

Posted: 17 Jun 2014 02:07 AM PDT

Fonte: guiame.com.br

Fugidos da guerra civil na Síria, cristãos começam uma nova vida aqui

refugiados sírios

Um dos grandes projetos da MAIS (Missão em Apoio à Igreja Sofredora) é o Programa de Apoio a refugiados cristãos.

A recente guerra civil na Síria fez com que centenas de famílias cristãs fugissem do país em busca de socorro.

Através da MAIS, em parceria com diversos líderes e igrejas brasileiras, essas famílias encontraram refúgio aqui e começaram a reescrever uma nova história.

No vídeo abaixo você pode conhecer um pouco de duas histórias de refugiados da Síria.

“Eu tenho esperança. Tudo é novo agora. Novo idioma, novo povo e nova vida. Agora, os erros do passado podem ser deixados para trás porque tudo é novo”, diz um dos rapazes.

Assista o video:

 

Missionário cristão dedica sua vida para evangelizar em regiões onde cristãos são perseguidos e mortos

Posted: 17 Jun 2014 02:07 AM PDT

franzO missionário cristão Chris Franz tem um foco bem específico em seu ministério. Nascido na Alemanha e tendo passado boa parte de sua vida servindo em igrejas na Europa e nos Estados Unidos, Franz tem em seu coração um ardente desejo de pregar e evangelizar em regiões do mundo conhecidas por serem hostis ao cristianismo.

O foco central do ministério de Franz é o trabalho em locais povoados por tribos e grupos de pessoas conhecidas por matar aqueles que seguem o cristianismo. Ele começou o trabalho de seu ministério, Cristo é a Resposta (CITA, da sigla em inglês), em 1998 e desde então já realizou quase 100 cruzadas evangelísticas, que resultaram em milhares de pessoas entregando suas vidas a Cristo.

Segundo o Charisma News, o trabalho de Franz tem também como resultado inúmeros sinais e milagres, e o seu testemunho de já ter pregado em vários dos lugares mais perigosos no mundo para os cristãos. Um de seus recentes trabalhos missionários foi realizado em Wondo Genet, na Etiópia, onde ele viu milhares de pessoas sendo curadas e se convertendo a Cristo.

Seu ministério equipa e apoia uma rede de ministérios e missionários indígenas para plantação de igrejas, e vários destes missionários se tornaram mártires.

- É um preço que devemos pagar – afirma Franz, sobre os muitos missionários que deram suas vidas para evangelizar em terrenos hostis.

- Vivemos em um tempo em que não podemos mais permitir que qualquer coisa, até mesmo a morte, nos impeça de trabalhar nos campos de colheita de Deus. Estamos na última fase do cumprimento da Grande Comissão, e eu acredito que essas regiões do mundo são a última posição. Esta geração precisa ser salva! – ressalta o missionário.

Cristãos malaios sofrem com a forte influência do islã

Posted: 17 Jun 2014 02:05 AM PDT

Fonte: guiame.com.br

“Quem opta por deixar o islã, não é mais considerado um malaio e, basicamente, perde tudo”, diz um cristão

MalásiaNa Malásia, o povo malaio constitui pouco mais da metade da população e 99% são muçulmanos.

Daniel* deseja que seus compatriotas muçulmanos possam ouvir sobre Jesus e ele compartilha um pouco da situação dos cristãos malaios.

"De acordo com a nossa Constituição, ser malaio significa ser muçulmano. O islã nos afeta desde o nascimento até a morte. Quando você nasce muçulmano – de acordo com o nosso país – você deve morrer muçulmano. Você nunca poderá se converter a outra religião sem enfrentar as consequências e abrir mão dos seus direitos de ser um malaio. Então, quem opta por deixar o islã, não é mais considerado um malaio e, basicamente, perde tudo.

É quase como escolher tornar-se refugiado em seu próprio país. Você passa a ser tratado como escória. Se os pais descobrem que sua filha ou filho, ou cônjuges descobrem que seu marido ou esposa aceitaram a Cristo, eles têm a responsabilidade de dizer à liderança islâmica o que aconteceu. Isto é visto como um dos maiores pecados que um muçulmano malaio pode cometer. Assim que os malaios se tornam cristãos, eles estão automaticamente fora da sociedade."

Mesmo estando no 40º lugar na Classificação da Perseguição Religiosa 2014, o cristianismo é a segunda maior corrente religiosa da Malásia.

No país, qualquer pessoa flagrada testemunhando e pregando a um muçulmano pode ser multada e presa por até dois anos.
com informações da Portas Abertas

Índios aceitam a Jesus, se batizam e abandonam costumes tradicionais

Posted: 17 Jun 2014 02:01 AM PDT

“Eu não bebo e nem fumo mais. Isso melhorou a minha vida porque antes, quando os índios bebiam, tinham muitas brigas na aldeia. Depois da igreja, isso não aconteceu mais", disse Zila Santos

uacu

Na reserva Uaçá, em Oiapoque, a aldeia Kumenê hoje vive uma realidade diferente do que se imagina em uma tribo indígena.

"Somos evangélicos. A maioria da aldeia é crente", disse o cacique Azarias Ioio Iaparrá. Ele fala da influência do homem branco e da chegada do protestantismo ao meio da selva amazônica.

Antes adeptos da cultura em que o Deus era a natureza, os índios da aldeia Kumenê passaram a acreditar em Jesus Cristo. A consolidação da religião protestante na tribo não é recente.

Segundo os indígenas, a ‘catequização evangélica’ começou em 1965 com um casal de missionários norte-americanos que investiu mais de uma década nesse processo. Eles teriam usado o argumento de que somente na crença em Jesus poderiam obter salvação divina.

cristãos indígenas

"Os missionários explicaram pra gente que Jesus era o único salvador e que Deus fez o céu e a terra. Primeiro não acreditamos muito, mas depois começamos a aceita a palavra e fomos nos batizando nas águas", contou o pastor indígena Florêncio Felício, de 55 anos, que desde os 25 anos segue o protestantismo. A aldeia tem apenas uma igreja evangélica, construída em alvenaria por missionários na década de 1990.

Após a aceitação do evangelho e do batismo nas águas algumas coisas começaram a mudar na aldeia. Uma das primeiras mudanças tratou do espaço da comunidade. Antes as casas dos índios eram afastadas umas das outras e então passaram a ser construídas em distâncias menores.

"Cada família tinha a própria aldeia, mas depois dos missionários passamos a viver mais próximos, como se fosse uma única família", relatou o cacique Iaparrá.

Eles também aprenderam a falar português por influência dos missionários, mas, apesar disso, a comunicação nos cultos e em dialeto nativo, o palikur. Apenas as palavras 'Jesus', 'Aleluia' e 'Amém' não tem tradução para a língua indígena usada na aldeia.

O pastor indígena da tribo lembra que entre as práticas culturais combatidas pela religião protestante, três foram extintas: a circulação de pessoas nuas na aldeia, danças típicas, feitiçaria de pajés e o caxixi, bebida com teor alcoólico a base de mandioca fermentada com saliva. As tradições foram trocadas pelos pastores.

cristãos indígenas

Zila Santos, de 47 anos, foi uma das índias que deixou de realizar os costumes tradicionais. "Eu não bebo e nem fumo mais. Isso melhorou a minha vida porque antes, quando os índios bebiam, tinham muitas brigas na aldeia. Depois da igreja, isso não aconteceu mais", frisou.

Atualmente os índios participam de três cultos por semana com duração de três horas.

Diversas bandas participam dos louvores nos cultos, entra elas a ‘Missão de Gideão’, formada apenas por indígenas. A banda existe há 20 anos e tem mais de 100 músicas compostas ne língua nativa. Sofonias Hipólito, um dos membros da banda, fala do sonho de gravar um CD. "Temos um material autoral que precisamos colocar em um CD. Mas por causa da dificuldade financeira e distância, ainda não conseguirmos viajar", disse.

 

Fonte: Guia-me/ com informações do G1

Cristãos são torturados e agredidos em prisão no Irã

Posted: 17 Jun 2014 01:58 AM PDT

 

 

Ore por esses irmãos em Cristo e suas famílias

Ira

Preso em 5 de maio, o cristão Silas Rabbani foi torturado na prisão de Gohardasht, e o cristão Amin Khaki, também cristão, alegou ter sido violentamente agredido na prisão de Ahwaz.

Diácono da Igreja do Irã em Karaj, Rabbani está em sob o controle da Guarad Revolucionária.

Amin Khaki fazia parte de um grupo de oito cristãos que foram detidos e interrogados após um piquenique em 5 de março de 2014. Atualmente, ele está na Divisão internada prisão em Ahwaz.

Ore por esses irmãos em Cristo e suas famílias.
Fonte: Guia-me/ com informações da Portas Abertas

Lançamento!

Lançamento!

Contato

Contato
Clique na imagem para acessar

REVISTA PAMM - edição de Outubro

Para escolher o modo de leitura (páginas, livro, slides) Coloque o mouse sobre iPaper > ViewMode> selecione o modo. Para ler no modo Tela Inteira, clik na caixinha abaixo no canto direito, você também pode usar o recurso de zomm.
- Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo. Lucas 6:38